Quem é português já deve saber de cor como nasceu a RTP: a primeira transmissão do canal 1 foi na Feira Popular de Lisboa, no dia 07 de Março de 1957, pa pa pa... enfim. Por trás deste canal surgiram referências como Júlio Isidro, José Rodrigues dos Santos, Sónia Araújo, entre outras caras. A rede pública portuguesa de radiodifusão, ou melhor, a Rádio e Televisão de Portugal (até 2004 era Radiotelevisão Portuguesa) declara que continua a fazer história, que continua a interagir, a inovar, a informar, etc.
Com esse lema «Continua» e sob nova administração, hoje a RTP1 estreou sua nova imagem, depois das estreias em 2015 da RTP3 e da nova RTP Memória. Gonçalo Morais Leitão, chefe de design da RTP, disse: «Havia disparidade entre canais em termos de identidade gráfica. Mudar a da RTP1 era um desejo desta nova administração [liderada por Gonçalo Reis] e estava a ser pensada desde o verão do ano passado. Concretiza-se agora», em entrevista concedida ao Diário de Notícias.
Junto com isso, o site da RTP mudou. Agora ele é totalmente responsivo, depois dos testes feitos noutras páginas dos programas. Ainda a respeito da RTP1, os idents/separadores de 12'' apresentam uma verdadeira arte, realizada por Alexandre Farto, o artista de rua conhecido por Vhils, que sentiu que seu desejo foi realizado. Seu novo slogan, segundo Morais Leitão já fala por si: «Com continua, o que queremos dizer é que podem mudar-se os tempos e podem mudar-se as vontades, que a RTP vai estar sempre aqui, estável, apesar de todas as vicissitudes, de todas as alterações de sociedade e de todas as alterações de governo.»A estreia da nova imagem se deu às 08h00 de Lisboa, com a troca do logotipo. A propósito, ele parou de «rodar» e trocar de cor depois de 9 anos.

E fiquem atentos, pois a RTP Internacional poderá ser a próxima. Seu logotipo já foi trocado no site oficial. ¡PARABÉNS RTP!